sábado, 8 de fevereiro de 2014

GALETTE DE CHEROVIA

A minha mãe comia disto em miúda. A mãe dela, a minha avó Susana, fazia-as da forma que, aparentemente, é a mais comum: cortadas às fatias, passadas por ovo e farinha e fritas. Foi assim que as comi n'O Mário nos primeiros dias de janeiro deste ano. Ontem comprei umas quantas aqui na Figueira (infelizmente, não eram do Fundão...) e decidi experimentar fazer uma galette de cherovias.


Primeiro, há que descascar as cherovias e cortá-las em rodelas muito finas (usei a mandolina e cortei um dedo, para variar). Depois, numa tigela grande, envolvem-se as rodelas com um pouco de flor de sal e um fio de azeite. Convém que o azeite seja suave para não mascarar o sabor das cherovias. 


De seguida, numa frigideira, deita-se um pouco de azeite e dispõem-se as rodelas de cherovia. Leva-se a lume médio/baixo e deixa-se alourar durante uns 10 minutos. Vira-se a frigideira sobre um recipiente de pirex (eu usei a habitual rodela de barro) e leva-se ao forno por uns 30 minutos até a cherovia começar a ficar crocante.


8 comentários:

  1. Respostas
    1. Também já li chamarem-lhes isso :)
      Mais uma coisa que podes levar na marmita para manteres a fama de ET junto das tuas queridas colegas ;)

      Eliminar
    2. : ) mas onde comprou? Fiquei curiosa.Bjo

      Eliminar
    3. No Jumbo da Figueira :)
      Estavam à venda juntamente com outros vegetais exóticos!

      Eliminar
  2. Adoro o sabor ´deliciosamente aromático das cherovias, cherívias ou pastinacas.
    Habitualmente, cozinho-as a vapor e tempero-as com molho de iogurte.
    Este processo de confeção é muito interessante.
    Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço a partilha. Vou experimentar essa versão com molho de iogurte. Parece deliciosa!

      Eliminar
    2. Deve adoçar ligeiramente o molho, a fim de melhorar a sua acidez. Bjnh.

      Eliminar

Acerca de mim

A minha foto
Sou uma antropóloga que só pensa em comida...
Instagram

Seguidores